Sentimentos, Vida real

Ser mais humano, não apenas um ser humano

Oi gente!

Esse texto não é sobre religião, nem sobre crenças, nem sobre Deus, ou auto-ajuda, mas sobre filosofia de vida.

“Filosofia é o estudo das questões gerais e fundamentais relacionadas com a natureza da existência humana; do conhecimento; da verdade; dos valores morais e éticos; da mente; da linguagem, bem como do universo em sua totalidade”. (Dicionário).

Ter uma filosofia de vida, acredito que seja se importar com tudo que nos rodeia e buscar ser o melhor que pudermos, não importando para quem, nem quando, nem porque.

Acho que esse tema é muito polêmico para se ater a um post de poucas palavras. No entanto, sinto necessidade de expor meu sentimento em relação ao caos em que vivemos.

Tanto ódio, tanta violência, crueldade, preconceito e atitudes de escárnio que vejo por aí, não só no dia a dia físico, mas também nas redes sociais, onde fica mais fácil se esconder num perfil fake. Mas a verdade é que tenho visto muitos fakes, fora dos perfis fakes…é vida real e isso é triste e lamentável.

Então me pergunto, sempre que me deparo com situações dessa natureza: onde foram parar as coisas boas dos seres humanos? Onde está a centelha de vida, que existe no âmago de cada um? Porque tantas pessoas insistem em apenas SER?

É tanta richa, rivalidade, competição, desprezo, intolerância, injustiça, raiva, insensatez, descaso, que me pergunto: estamos sendo HUMANOS ou estamos apenas sendo seres que são humanos?

1529235825822
Via Láctea – pode conter até 400 bilhões de estrelas

Difícil conseguir se identificar nesta foto, mas o fato é que estamos todos juntos em algum ponto desta imagem. Uns mais próximos, outros mais distantes, mas indiscutivelmente juntos.

O ser humano muitas vezes é egocêntrico demais para enxergar além dos limites do próprio umbigo, imagine para enxergar a imensidão desse infinito, que não é particular…

Isso não altera em nada nossa condição existencial, mas acho importante ressaltar que, quando olhamos dessa distância, não vemos diferenças.

Seja quem for ou onde estiver, cada pontinho branco é só mais um pontinho branco.

Pense hipoteticamente: Se você pudesse olhar dessa perspectiva, quantos e quais pedidos de ajuda você captaria? Para quantos e quais, você direcionaria sua proteção? Para quem estenderia a mão? Qual seria sua prioridade no atendimento desses pedidos?

Será que há um propósito pessoal e intransferível para cada pontinho branco? Alguns chamam a isdo de DESÍGNIOS DE DEUS.

Não importa quem é seu Deus, se Ele existe, se você acredita em um ou mais Deuses. Importa saber que, há uma força maior que criou todas as coisas, todas as criaturas e zela por sua criação initerruptamente.

Cada um pode dar o nome que quiser para isso: Deus, Rá, Espírito Santo, Força, Luz, Ganesha, Alah, ou simplesmente entender que, para qualquer que seja a nomenclatura adotada, tudo isso representa apenas uma coisa: AMOR. Sentimento, do qual, muitos seres humanos estão carentes, tanto de dar, quanto de receber.

Seria uma morada melhor, se zelássemos mais por cada pontinho branco, porque de repente, ele pode estar bem do nosso lado…pode ser um parente, amigo, vizinho, conterrâneo, colega de trabalho, namorado, refugiado, exilado, desconhecido…não importa, ele está do nosso lado.

Achei essa reflexão oportuna, para lembrar que temos muitos semelhantes e que nessa imensa casa, onde moramos, no fim das contas, somos todos irmãos, “braços dados ou não”…

Não faça ao teu igual, nada que possa diminuir sua existência ou te fazer crer ser melhor ou maior. Isso só acontece na sua imaginação.

Olhe novamente para a foto…não se veem diferenças, são todos pontinhos brancos…

Uma postura mais condizente com a condição de ser humano “mais humano”, com certeza seria, doar mais amor incondicional (independente de para quem vamos doá-lo), ter mais compaixão, consciência, compreensão, reflexão, simplicidade, humildade, lealdade, desinteresse, enfim, qualquer dessas características, que não custa nenhum centavo, mas que certamente faria diferença no final de cada dia, de cada ano, de cada década,  de cada século, de cada existência…chamamos a isso de: ESCOLHAS

Ser mais humano, não nos torna melhores, nem deixamos de ser mais um pontinho branco na imensidão, mas nos torna mais leves, torna o outro mais confiante, tornamos muitos outros menos  infelizes, melhoramos a energia ao nosso redor, podemos  transformar a vibração dessa imensidão e tudo isso com uma simples mudança de atitude: sendo mais HUMANOS!

À propósito, onde entra a Filosofia? Bom, eu escolhi como Filosofia de Vida (da minha vida), viver cada dia como se fosse o último e “Fazer o bem, sem olhar a quem”.

Sem mais delongas, porque o objetivo é refletir e não escrever, desejo a todos um mundo melhor!

Carpe Diem!

Texto: Lila Amaral.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.