Curiosidades

Design e Designer

Oi gente!

Como tenho formação em Design, gostaria de explicar a diferença entre DESIGN e DESIGNER, porque vejo muita gente confundindo os dois.

É normal, por se tratar de palavras de outro idioma, que foram incorporadas ao nosso.

Uma pesquisa da organização educacional British Council, realizada em 2015, mostrou que apenas 5% da população brasileira fala inglês. Para completar, entre as pessoas que se comunicam no idioma, a maioria tem baixa proficiência, o que quer dizer que falam e/ou entendem mal. É aí que começa a confusão.

Se no nosso país as pessoas já têm sérias dificuldades para interpretar textos em português, então imagine se ficarmos misturando os idiomas. Por isso, quando for mesmo inevitável usar termos em inglês, vamos priorizar explicá-los, como vou fazer agora.

Então vamos lá!

Screenshot_20190916-184417__01.jpg

O termo vem do latim designare e mais tarde foi adaptado, para o inglês, como design.

No Brasil, o termo Design foi adotado durante o 5º ENDI (Encontro Nacional de Desenhistas Industriais), que ocorreu em Curitiba em 1988. Desenhistas Industriais (hoje chamados designers), reuniram-se e acordaram em utilizar os termos ‘Design’ e ‘Designer’, para se designar à matéria e ao profissional da área, respectivamente.

Em inglês, a palavra design pode ser usada tanto como substantivo, quanto como verbo. O verbo refere-se a um processo de dar origem e desenvolver um projeto de algo, ou seja, o verbo é sinônimo em português de projetar. O substantivo se aplica tanto ao produto finalizado da ação (ou seja, o produto do design em si), ou o resultado de se seguir ao plano de ação, assim como também ao projeto de uma forma geral.

O termo inglês é bastante abrangente, mas quando os profissionais o adotaram para o português, queriam designar somente a prática profissional do design, ou seja, projetar. Era preciso, então, diferenciar design de drawing (ou seja, o projeto diferente do desenho), enfatizando que a profissão envolvia mais do que a mera representação das coisas projetadas. Na língua espanhola também existe essa distinção, usando-se as palavras diseño (que se refere ao design) e dibujo (que se refere ao desenho).

 

O arquiteto brasileiro João Batista Vilanova Artigas, em um ensaio intitulado O desenho, faz referências ao uso durante o período colonial da palavra desenho com significado de desejo ou plano.

Na Bauhaus, adotou-se a palavra gestaltung, que significa o ato de praticar a gestalt, ou seja, lidar com as formas, ou formatação. Quando traduzida para o inglês, adotou-se design, já usada para se referir a projetos.

No Brasil, com a implementação do primeiro curso superior de design, por volta da década de 50, adotou-se a expressão desenho industrial, pois à época era proibido o uso de palavras estrangeiras para designar cursos em universidades nacionais. O nome desenho industrial foi assim pensado porque refere-se à prática de desenhar, esboçar e projetar algo que será reproduzido posteriormente em escala industrial.

Contudo, no Brasil, a nomenclatura desenho industrial mantém-se em uso atualmente, sobretudo entre os cursos de design em instituições públicas de ensino superior. O termo desenhista industrial, porém, já não segue o mesmo rumo, pois cada vez mais cai em desuso, dando lugar ao termo inglês designer.

O já mencionado Vilanova Artigas tentou resolver a questão propondo a palavra desígnio como sendo a tradução correta de design, pois dessa forma, este apresentaria diferenças do simples “desenho”. Apesar de ser desenho, o design possuiria algo mais: uma intenção (ou desígnio). Entretanto, apesar das pesquisas realizadas pelo arquiteto, sua proposta não foi adotada. Porém, Artigas considera legítimo também o uso da palavra desenho como tradução de design.

Em todas as propostas de nomenclatura está implícito o conceito “projeto”.

Screenshot_20190916-185739__01__02.jpg

designer, ou projetista é um profissional que desempenha atividade especializada de caráter técnico-científico, criativo e artístico para elaboração de projetos de design passíveis de serialização ou industrialização e que atendam, tanto no aspecto de uso quanto no aspecto de percepção, a necessidades materiais e de informação visual.

Em inglês, o termo se refere a qualquer indivíduo que esteja ligado a alguma atividade criativa ou de projeto.

Esse anglicismo foi adotado no final do século XX no Brasil, com o objetivo de universalizar as profissões ligadas ao projeto. Isso tem ocorrido e a maioria das universidades prefere o termo designer pelo fato de o termo projeto já existir e ser um sinônimo muito próximo do termo design.

O design é um  conceito muito amplo e seu significado pode variar muito de um campo para outro. Ele permeia muitos aspectos de nossas vidas e se ramifica em diversos subgêneros, desde design de produtos, som, realidade virtual, até design de carros, videogames, interfaces de software, interiores de residências e escritórios.

Então, pra ficar bastante claro: DESIGN é o produto e DESIGNER é o profissional.

Exemplo:

Eu sou arquiteta e trabalho com design de interiores. Além de arquiteta eu também sou designer.

Referências bibliográficas:

  • Dicionário escolar da língua portuguesa/Academia Brasileira de Letras. 2ª edição. São Paulo. Companhia Editora Nacional. 2008. p. 424.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.