Viagens, Vida real

Micos e perrengues de viagem #2

Oi gente,

viajar

Viajar é massa!

Eu falo massa, porque eu sou baiana e lá em Salvador, capital da Bahia (nordeste do Brasil) o povo tem um dialeto próprio, que gerou um dicionário de baianês, pra que o povo de fora da Bahia, até mesmo dentro do Brasil, possa entender algumas expressões idiomáticas, que só o baiano tem.

Por exemplo: quando uma coisa é massa, ela não é um macarrão, ela é qualquer coisa muito legal.

Pois bem, esse “dialeto”, me fez pagar um mico gigantesco, quase um king kong e altamente constrangedor em Lisboa, Portugal.

Brasileiro sempre acha que, porque Brasil e Portugal são países irmãos, de mesma língua, (Português) a comunicação é tranquila.

LEDO ENGANO AMIGOS!!!!

Eu saí do Brasil, pra morar na Irlanda. Como meu visto venceu e eu não queria voltar pro Brasil, que tá um “mangue” (que não é um manguezal, é uma coisa, situação, ou espaço, que tá uma bagunça, zoneado, etc…), decidi ir pra Portugal, que não tem problema de visto.

Aí tirei documento e aluguei apartamento, pra poder partir pra arrumar trabalho.

No dia de assinar o contrato do apê, minha senhoria ( locatária do imóvel), começou a conversar e discretamente, começou a me fazer umas perguntas, pra saber mais ou menos quem eu sou, se teria condições de pagar a renda ( aluguel), etc…

Os Portugas são super, hiper, mega desconfiados. Eles morrem de medo de tomar um calote, porque eles gostam de dinheiro viu?

Aí, de repente, à queima roupa, ela me perguntou:  “a Liliana já está a trabalhar?” (eles sempre usam a/o na frente do nome da pessoa e não usam gerúndio).

Em outros países, uma pessoa que faz trabalhos esporádicos, pode-se fizer um freelancer é alguém que, ou, é autônomo ou, não tem um  trabalho fixo.

Na Bahia a gente diz que tá fazendo uns “bicos“. Não sei a origem desse termo e porque ele é usado, mas a gente usa e todo mundo entende, na Bahia, ok?

Então falei pra ela: ainda não tenho um trabalho com contrato ( lá não tem carteira assinada), mas estou fazendo vários bicos…) e notem que eu eu enfatizei com um “vários” do lado de bicos.

Quando eu falei isso, minha senhoria arregalou os olhos, me mediu de cima a baixo, com uma expressão de total indignação e eu sem entender, porque eu tenho uma aparência distinta, sou limpa, me visto bem, me perguntei: que diabo essa mulher tá me olhando tão estupefata???

Sabe aquele olhar fulminante??? Eu quase desintegrei. Parecia que ia sair um raio paralisante do olho da criatura.

Aí meu colega de apartamento, se meteu bruscamente, no meio da conversa e falou pra ela: “não leve em consideração o que ela disse, ela está fazendo trabalhos esporádicos e é uma pessoa correta, idônea, íntegra, etc….”

Aí eu entendi menos ainda e me perguntei de novo, porque ele tá me defendendo? Eu não fiz nada de errado. Que papo de maluco é esse???

Depois que a mulher se acalmou, desfranziu a boca e voltou o olhar pra mim, disse em tom ainda indignado: “você tem que se familiarizar com o vocabulário Português e partiu a 200 por hora”.

Depois que ela saiu, meu colega me disse: “se eu não tivesse aqui, provavelmente ela não ia assinar seu contrato e ia te mandar procurar outro lugar pra morar”.

Aí eu pirei…mas afinal de contas o que foi que eu fiz????

Aí meu colega me explicou: “BICO em Portugal, significa BOQUETE ( sexo oral)”, então a senhoria deve ter pensado: quem faz vários boquetes (eu disse que tava fazendo vários bicos), só pode ser mulher de vida fácil, pra não usar um termo mais profissional, como garota de programa, puta, piranha, dentre outros.

Eu não sabia se gargalhava ou ligava pra ela pra me explicar e desculpar.

Decidi ficar com a primeira opção e caí na gargalhada, porque eu não sou portuguesa, ora pois, eu sou baiana velho (qualquer pessoa, não necessariamente velha) e jamais iria imaginar o significado de bico.

O baianês é massa, mas várias vezes, me fez pagar uns micos em Portugal, porque algumas palavras, que tem grafia igual, tem um significado totalmente diferente do brasileiro.

No próximo post, vou fazer uma relação de algumas palavras, pra você que pretende morar nas terra lusitanas, não chegar desavisado.

Bom galera é isso!

Antes de sair do seu país, dê uma pesquisada no idioma alheio, pra não passar tanto perrengue e pagar tanto mico.

Beijos!

Texto: Lila Amaral.

Uma lembrança boa de Lisboa, afinal, não foram só perrengues e micos.

Screenshot_20200126-104609__01__01__01
Parque das Nações,Lisboa, Portugal.

Um comentário em “Micos e perrengues de viagem #2”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.