Sentimentos

Beleza, não é fundamental

Screenshot_20200226-141339__01
Frases de Vinícius de Morais. Imagem: Google.

Eu amo de paixão Vinícius de Morais, mas discordo completamente desse pensamento, porque a beleza, além de efêmera é uma coisa muito subjetiva, porque depende de uma série de fatores.

Mas creio que milhares de pessoas no mundo, viraram escravas desse “padrão” que, muitas vezes gera tanta dor e tanto sofrimento.

Beleza, segundo o dicionário é:
  1. 1.
    qualidade, propriedade, caráter ou virtude do que é belo; manifestação característica do belo.
  2. 2.
    caráter do ser ou da coisa que desperta sentimento de êxtase, admiração ou prazer através dos sentidos.

A beleza pode ser definida segundo muitos critérios, mas com certeza não é algo definitivo e imutável, como muitas pessoas pensam.

Acho que isso vale para qualquer coisa que está sob admiração e avaliação de se é ou não belo: um objeto, uma pintura, uma paisagem, um carro ou uma pessoa e esses critérios que podem definir o conceito de beleza, podem ser bem distintos, como: cultura, contexto histórico, critérios sociológicos e psicológicos. 

Screenshot_20200226-211348__01__01
Mulher tailandesa, conhecida como mulher girafa. Fonte: Google.

Para os tailandeses essa mulher é linda e disputadíssima. Isso é cultura. Para outros é estranha, exótica e até feia.

Para os romanos a beleza era definida pela perfeição. Mas será que existe perfeição, quando se trata de beleza? Pergunto isso, porque cada pessoa tem um gosto, pessoal e intransferível, então essa “perfeição” é subjetiva. Sem contar que em cada cultura, o conceito de beleza, muitas vezes está relacionado com coisas muito diferentes da realidade à qual estamos acostumados, como a mulher girafa acima.

A beleza, envolve a interpretação de, harmonia o que pode levar a sentimentos de atração ou bem-estar emocional e como essa pode ser uma experiência subjetiva, não podemos esquecer algumas máximas, como: “a beleza está nos olhos de quem vê” ou “quem ama o feio, bonito lhe parece” e como dizia minha vó, “pra todo pé doído, tem sempre um sapato velho”.

Considerar uma pessoa como “bela”, é associar o interior dela, e características como: personalidade, inteligência, carisma, caráter, elegância, além dos fatores culturais, com seu exterior, que são seus atributos físicos. 

Os padrões de beleza mudaram ao longo da história, o que prova que a beleza é muito mais diversa do que parece.

No século passado, as mulheres mais robustas e rechonchudas, eram modelos, representadas em milhares de telas, como.essa tela de Rubens e sua preferência pelas mais voluptuosas.

Screenshot_20200226-205813__01
Tela do Pintor flamenco Rubens. Período barroco.  Fonte: Google.

Hoje, as modelos perfeitas teem que ser magérrimas, as vezes esqualidas e muitas acabam desenvolvendo problemas como anorexia, pra permanecer magra. Mas quem decretou que magreza é sinônimo de beleza?

As mídias. As revistas. A indústria da moda e dos cosméticos….enfim: o mercado.

Mas não entre nessa roubada, achando que vai ficar de fora do mundo, porque não tem os padrões exigidos por esse mercado, que só visa lucro, afinal, tem gosto pra tudo e pra todos.

Tudo bem, se a pessoa tiver condições financeiras e fizer algumas intervenções para melhorar o visual. No caso abaixo, por exemplo, a mudança certamente melhorou a autoestima de Tom Cruise e pode ter sido o fator que lhe garantiu uma carreira. Mas, no caso dele, especificamente, o carisma, o fato de ser uma pessoa educada e gentil com todos( sem estrelismo) é a maior beleza dele.

Screenshot_20200227-165650__01
Ator Tom Cruise. Fonte: Google.

Além do contexto histórico, a cultura tem padrões de beleza distintos. Por exemplo:

Os homens americanos gostam de mulheres magras, com busto grande e as mulheres gostam dos tipos sarados, musculosos, bem hollywoodianos, com cabelos loiros e sorriso Colgate, mesmo que sejam uns babacas, como muitos são.

No Japão a preferência dos homens é por mulheres mignon (mais baixas), com pele alva, estilo porcelana. Já nos homens, o conceito de beleza é conhecido como:  bishōnen,  que refere-se a homens com características femininas. 

No Japão hoje, existem centenas de clínicas de estética, especializadas em clareamento da pele, enquanto que nos Estados Unidos e outros países, milhares de pessoas passam horas fazendo bronzeamento artificial.

Quem pode entender o conceito de beleza?

Quem pode definir o conceito de beleza?

Mesmo com um mercado tão exigente, com um apelo estético muito forte, capaz de mobilizar milhões, em cirúrgicas plásticas, a beleza, para muitos, continua estando em segundo plano.

Vinícius que me perdoe. Eu até acredito que a beleza abre o apetite, mas não põe a mesa, nem, garante uma boa refeição.

Viva a diversidade e que cada um se aceite como é, porque o importante é ser feliz!

Carpe Diem!

Texto: Lila Amaral.

5 comentários em “Beleza, não é fundamental”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.