Dicas, Sentimentos, Vida real

“Seja a mudança que você quer ver no mundo”

Mahatma Gandhi foi líder do movimento pela independência da Índia, com isso, se envolveu em muitas polêmicas, fez greves de fome, para incentivar os desfavorecidos e injustiçados, transitou entre mendigos e personalidades, como: Charles Chaplin, Bernard Shaw e Maria Montessori, foi preso, passou por todos os percalços que se possa imaginar, para defender coisas que acreditava e ficou conhecido por ser uma pessoa iluminada, que acreditava ser possível mudar o mundo sem ter que pegar em armas, através da não violência.

Foi o criador da campanha do Satyagraha (termo hindi composto por duas palavras: Satya = verdade; e agraha = firmeza). É agarrar-se à verdade.

Ao longo de sua vida, as atividades de Gandhi atraíram todo tipo de comentários e opiniões, dos mais diversos, incluindo personagens influentes e famosos.

Winston Churchill, Primeiro ministro do Reino Unido, chegou a chamá-lo de “faquir castanho”.

Sobre Gandhi, Albert Einstein escreveu que, “as gerações por vir terão dificuldade em acreditar que um homem como este realmente existiu e caminhou sobre a Terra”.

Gandhi nunca recebeu o prêmio Nobel da Paz, apesar de ter sido indicado cinco vezes. No entanto, o erro foi reconhecido pelo comitê organizador do Nobel.

Quando o Dalai Lama, Tenzin Guardo, recebeu o prêmio em 1989, o presidente do comitê disse que o prêmio era “em parte um tributo à memória de Mahatma Gandhi”.

Gandhi foi assassinado, mas deixou um legado de paz e reflexão para o mundo.

Quando penso em Gandhi, a primeira coisa que me vem à mente é uma de suas frases mais conhecidas:

“Seja a mudança que você quer ver no mundo”.

Screenshot_20200615-130043__01__01
Fonte: Google.

Eu repito essa frase milhares de vezes…

Repito, para compreender, assimilar, absorver seu significado: quando desejamos mudar para conquistar a vida que pretendemos, ou melhorarmos como pessoas, na verdade estamos falando de fazer um mergulho profundo, dentro de nós mesmos, para perceber que, não podemos transformar nada, sem antes nos transformarmos.

FB_IMG_1593949075914__01
Fonte: Google.

Lembrei de um exemplo simples…

Eu fumava, quando era adolescente, mas odiava o fedor que o cigarro deixava, nas minhas roupas e nos meus cabelos. Também odiava quando meus amigos reclamavam da fumaça e me chamavam de chaminé. Tempos depois eu parei de fumar e convivi com fumantes. Aí eu literalmente entendi o incômodo que causei, tanto a mim, quanto aos meus amigos.

Eu precisava parar de fumar, para incentivar e através do exemplo, fazer outras pessoas pararem.

Em muitas situações na vida, me vi tentando agir como Gandhi, mas as vezes nosso ego faz de tudo para que façamos uma escolha, onde ficamos numa zona de conforto, pensando: se vivi até agora assim, não há necessidade de mudar. O ego muitas vezes cria armadilhas e tenta nos convencer que, você é uma vítima da situação.

Mas, não somos vítimas e sim responsáveis pelas escolhas que fazemos ao longo da vida, pelo que dizemos e como dizemos.

Se queremos um mundo diferente, a mudança deve começar por nós.

Um simples bom dia, por favor, com licença, muito obrigado, podem fazer uma diferença enorme.

A gente reclama de corrupção, mas, muitas vezes buscamos uma “ajudinha”, pra resolver um problema nosso e somente nosso. Nossa pequena corrupção é um péssimo exemplo.

No dia a dia, furar fila, estacionar em lugar proíbido, ou nas vagas de deficientes, sentar nos lugares reservados a gestantes, idosos ou cadeirantes, nos transportes públicos, virou uma coisa normal. Onde foram parar a consciência, a gentileza, a ética?

Outro dia fiz uma coisa da qual me orgulhei e tenho certeza que gerou alguma coisa de positivo na outra pessoa.

Eu estava andando no calçadão e uma garota vinha no sentido contrário, chupando um picolé. Ao terminar, ela jogou o palito no chão. Eu caminhei em direção a ela, que ficou intrigada, achando que eu iria dizer ou fazer algo com ela.

Eu realmente fiz, não com ela, mas, para mim mesma. Abaixei, peguei o palito e levei até a lixeira. Ela ficou me olhando sem saber o que fazer. De repente, olhou pra mim e pediu desculpas. Eu até imaginei ela dizendo obrigada, mas pedir desculpas foi um gesto nobre da parte dela. Eu sorri, desejei bom dia e fui embora, com uma sensação indescritível.

Nunca me imaginei fazendo isso. Até me imaginei chamando a garota de mal educada ou sair resmungando…

Mas fazer isso mexeu demais comigo. Descobri que posso vencer minha indignação e fazer muito mais. E perceber como isso deixa a gente bem intimamente é a melhor parte do processo.

Acho que é isso que pessoas evoluídas sentem: felicidade, nas mínimas coisas, quando feitas de coração, com amor, consciência e verdade.

Eu dei o primeiro passo para a mudança que eu quero ver no mundo. Espero conseguir dar muitos passos, até conseguir correr.

Certa vez, a mãe de um menino indiano foi procurar Gandhi em busca de uma orientação, pois um médico a havia prevenido de que seu filho deveria parar de comer balas e guloseimas. Mas, por mais que ela insistisse, o menino não obedecia. A mãe pediu a Gandhi para que conversasse com o menino a esse respeito. Mas Gandhi, com um semblante sério, sugeriu a ela que voltasse com seu filho depois de duas semanas.

Na data combinada, mãe e filho retornaram e Gandhi conversou com o menino. Desde esse dia, o garoto parou de comer os doces que tanto prejudicavam a sua saúde. A mãe ficou intrigada: o que será que Gandhi falou? Por que me pediu para esperar duas semanas para falar com ele?

Curiosa, voltou à casa de Gandhi para perguntar sobre isso. Com um sorriso maroto, ele respondeu: “É que eu mesmo estava precisando parar de comer açúcar. Do contrário, estaria pedindo para seu filho fazer algo que eu mesmo não estava fazendo. Só depois de passar duas semanas sem ingerir açúcar, eu pude pedir a ele que não comesse mais doces. Contei a seu filho a minha própria decisão de não comer mais doces e o bem que isso havia me feito e ele compreendeu”.

1592219447661__01
Fonte: Google.

Assim era Mahatma Gandhi. Procurava ser ele o maior exemplo do que sempre dizia:

“Seja a mudança que você quer ver no mundo!”

Leia também:

Referência:

  •  “Gandhi, o Herói da Paz” – que faz parte da coleção “Heróis da Verdade”.

12 comentários em ““Seja a mudança que você quer ver no mundo””

  1. Perfeito! Acredito muito em energia e penso que o mundo sente o que transmitimos e tudo que nos envolve chega em nós na mesma frequência que emitimos, por isso é importante estarmos sempre buscando melhorar.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.