Turismo, Viagens

Recife e Olinda – dica de viagem – Brasil

Não é porque sou Nordestina, mas eu amo o Nordeste brasileiro.

Sinto falta de ter viajado muito mais pelo Brasil.

Numa dessas viagens pelo Nordeste, fui pra João Pessoa, na Paraíba e como ia passar uase 1 mês, resolvi dar uma esticada até a capital Pernambucana, Recife e como não poderia deixar de lado, fui novamente até Olinda. (Fotos de Recife e Olinda, respectivamente).

Já fui muitas vezes aos estados nordestinos e cada vez que voltei, me surpreendi com o crescimento das cidades, o desenvolvimento cultural, de uma riqueza ímpar e minha admiração por esse povo guerreiro, só aumentou.

Recife e Olinda, nasceram no período colonial e preservaram algumas heranças, deixadas por seus invasores portugueses e holandeses. Vamos entender um pouco dessa história, repleta de batalhas.

As invasões holandesas ao Brasil, ocorreram no século XVII e essa invasão estava relacionada com as questões diplomáticas envolvendo Portugal, Espanha e Holanda. 

As Batalhas dos Guararapes foram as principais, ocorridas no Nordeste brasileiro, contra a presença dos holandeses na região. Deflagradas em 1648 e 1649, enfraqueceram as posições dos holandeses na colônia portuguesa e culminou com a saída deles em 1654, numa ação conjunta entre, europeus, africanos e indígenas, que literalmente, forjou a cultura desse povo.

A ocupação holandesa, ocorreu quando o Reino de Portugal passou a ser administrado pelo Reino da Espanha, em 1580. Os Países Baixos, dos quais a Holanda era a principal província, também eram possessão espanhola e estavam em guerra para conseguir sua independência.

A forma adotada pelos holandeses, para atacar os espanhóis, foi ocupar as colônias portuguesas, no Brasil. Para isso, a Holanda criou, as Companhias das Índias Ocidentais e Orientais. A primeira ficou responsável pela ocupação do Nordeste brasileiro, ação que se iniciou em 1624, em Salvador, na Bahia. Mas a permanência holandesa, durou apenas um ano, já que foram expulsos em 1625.

Porém, em 1630, os holandeses conseguiram ocupar a capitania de Pernambuco, estendendo ao longo dos anos seu domínio, da foz do Rio São Francisco (em Alagoas e Sergipe), até o Ceará.

Os holandeses permaneceram no Brasil de 1630 a 1654 e sua presença ficou marcada pela administração de Maurício de Nassau, militar alemão, enviado pela Companhia das Índias Ocidentais, para governar a colônia holandesa.

As principais batalhas de enfrentamento aos holandeses, ocorreram no Morro dos Guararapes, onde hoje se localiza Jaboatão dos Guararapes, cidade da Grande Recife.

Apesar das invasões, Nassau, deixou um legado para o Nordeste.

De todos os prédios que compõem o centro histórico do Recife atual, nenhum deles foi originalmente construído no período de domínio holandês. O que se tem de herança são, os traçados das ruas, a inspiração arquitetônica, além da disposição das edificações, a mesma desde o período do governo de Nassau.

Mesmo sendo uma colonização de apenas 24 anos (1630-1654), o período holandês deixou marcas que até hoje perduram no imaginário dos pernambucanos e as vezes eles viajam na maionese.

O que também não se pode negar é que, sob domínio holandês, o Recife deixou a condição de pequena vila para se tornar uma cidade urbanizada.

Ganhou a primeira ponte do Brasil, ruas calçadas, saneamento, palácios, jardins e monumentos até então inéditos na região.

Primeira ponte do Brasil. Ponte Maurício de Nassau. Recife, Pernambuco.

Além disso, a vida cultural, teve o incentivo de Nassau, que, por sua afeição à ciência e à cultura instalou o primeiro observatório astronômico das Américas, além de trazer cientistas para estudar a fauna, a flora e a população locais. Trouxe também, pintores europeus, para retratar a evolução e as belezas brasileiras.

Quando vamos a Olinda, os guias-mirins, dizem que as casas ali são holandesas, e até onde Maurício de Nassau morou. Até no interior, qualquer ruína existente, a população costuma dizer que é do tempo dos holandeses. Mas, nada disso é real. Na verdade, em Olinda, os traços arquitetônicos são portugueses, modificados com o passar dos anos.

O fato é que, tanto em Recife, quanto Olinda, tem muita coisa legal pra ver.

Sugestão do que fazer em Recife:

Conhecer o Marco Zero – A Praça Rio Branco, também conhecida como Marco Zero, é um espaço público, localizado no bairro do Recife da cidade de mesmo nome. O local fica próximo ao Porto do Recife e é deste marco que são feitas todas as medidas oficiais de distâncias rodoviárias locais.

Visitar o Centro de Artesanato de Pernambuco – Parada obrigatória em Recife, pra conhecer a diversidade artística do pernambucano. Fica em frente ao marco Zero.

Conhecer o Parque de Esculturas Francisco Brennand – Construído sob um recife em frente ao Marco Zero, foi criado no ano 2000, para comemoração dos 500 anos do Descobrimento do Brasil. Francisco Brennand, transformou a antiga Casa de Detenção de Recife, na atual Casa da Cultura.

Visitar a Oficina Cerâmica Francisco Brennand – Onde grande parte da obra do artista pode ser encontrada. Criada em 1971, no bairro da Várzea, em Recife, funciona no local onde existia a antiga Cerâmica São João, fundada em 1917 por seu pai, Ricardo Brennand.

Museu Cais do Sertão – É um dos mais modernos espaços culturais do Brasil, instalado no antigo armazém, do Porto de Recife. É um local de convivência, diversão e conhecimento, que abriga a obra de Luiz Gonzaga, o grande homenageado do espaço.

Conhecer o Museu do Frevo – O Paço do Frevo é um centro de referência de uma das principais tradições culturais brasileiras, reconhecida como Patrimônio Imaterial da Humanidade pela Unesco: o frevo. Está localizado no Bairro do Recife, num belíssimo casarão, que promove oficinas e apresentações musicais e oferece aos visitantes a possibilidade de experimentar o Carnaval recifense durante todo o ano.

Caminhar pela Rua do Bom Jesus – A rua foi eleita, pela revista americana, Architectural Digest, como a 3ª rua mais bonita do mundo. Na publicação, há o destaque para a beleza e o colorido do casario, das palmeiras altas e a primeira sinagoga construída nas Américas, a Kahal Zur Israel e a Embaixada dos bonecos gigantes. Já teve vários nomes: Rua do Bode, Rua dos Judeus, Rua da Cruz, Rua dos Mercadores e por fim, Rua do Bom Jesus.

Dentre esses nomes o mais famoso foi, Rua dos Judeus. Durante o domínio holandês, houve uma abertura para as práticas religiosas diversas, incluindo a judaica, assim a rua tornou-se a via predileta dos israelitas.

A capital pernambucana é cortada por rios, canais e tem várias pontes, ligando um bairro ao outro, mas, Recife tem praia urbana perfeita para banho, apesar da presença de tubarões em suas águas.

Pra quem curte praia, Pernambuco oferece muitas opções.

Praia de boa viagem, está situada no bairro homônimo, na zona Sul da capital pernambucana, delimitada pela Praia do Pina ao norte e pela Praia de Piedade ao sul. Quando a maré esta baixa é possível caminhar e tomar banho nas piscinas naturais que se formam. Quando a maré sobe, os recifes ficam completamente cobertos. Devido aos constantes ataques de tubarões, o surf na praia de Boa Viagem é proibido e as autoridades recomendam não nadar além do limite dos recifes.

Outras praias que vale a pena conhecer, que ficam fora da zona urbana. Existem agências que fazem os passeios e muitos hotéis já têm uma programação. É só se informar na recepção.

Praia de porto de galhinhas. Além de aproveitar a praia e o centro, para compras, dá pra fazer mergulho com cilindro. Fica a 50 km de Recife e se preferir, pode alugar um carro e fazer um bate e volta. Essa é uma praia mais cheia e muita gente não curte, justamente por isso. Particularmente, não gostei, porque estava lotada e prefiro lugares mais tranquilos. Mas a praia é muito bonita e fui mais pelo mergulho, que é sensacional.

Mergulho em Porto de galinhas, Pernambuco.

Praia dos Carneiros, muito linda e com pouco movimento, certamente por ser mais distante de Recife, está a 113km da capital pernambucana. Tem um belo passeio de catamarã, onde se pode conhecer os bancos de areia e as piscinas naturais, fazer mergulho e conhecer a bela capela de São Benedito, construída no século XVIII.

Conhecida como, Capital Brasileira dos Naufrágios, Recife faz sucesso entre os mergulhadores. São 18 embarcações afundadas na região batizada de Parque Artificial de Naufrágios de Pernambuco. A rica e colorida vida marinha, atrai mergulhadores do Brasil e de diversos países.
Os afundamentos de embarcações de forma proposital começaram em 2002 e proporcionaram a formação de recifes artificiais, aumentado consideravelmente o ecoturismo na região. Esse é um passeio imperdível.

Embarcação no Parque de Naufrágios de Pernambuco.

Não é à toa que Olinda, entrou para a lista de Patrimônios Mundiais. Como diz a descrição da Unesco, situada a apenas sete quilômetros de Recife, ela permanece com o charme de cidade museu do período colonial. 

De Olinda, se vê Recife. Pernambuco.

O passeio pelas ladeiras, repletas de encantadores casarios coloridos começa na Praça do Carmo e você não pode deixar de visitar o Mosteiro de São Bento, bela e rica construção em estilo barroco e o Alto da Sé, de onde você terá as melhores vistas da cidade.

Do alto do Elevador Panorâmico, você verá igrejas e casas entremeadas por uma paisagem verdejante, que é abraçada pelo mar esverdeado do Nordeste. Não faltam opções de lembrancinhas: grandes lojas de artesanato e pequenos ateliês oferecem bonitas peças para decoração, incluindo quadros de todos os tamanhos e pequenos mimos, além de delicadas rendas.

Inaugurado no final de 2011, o elevador panorâmico e o mirante da caixa d’água da Sé de Olinda, são atrações turísticas do Sítio Histórico. A 20 metros do solo, o mirante descortina uma visão de 360 graus de Olinda e Recife.

E aí? Curtiu essas duas lindezas de cidades? Nosso Brasil tem muita coisa bonita pra ver!

Leia também:

Planeje sua viagem!

Viaje tranquilo para Recife e Olinda!

icon-saude

SEGURO DE VIAGEM
Faça o seguro saúde com a Seguro viagem online.

icon-carro

ALUGUEL DE CARRO
Veja os melhores preços para alugar um carro na Rental cars

icon-hotel

HOTEL
Reserve o seu hotel no Booking com cancelamento gratuito.

🟥 🟥 INGRESSOS

Compre seus Ingressos para atrações, excursões e passeios na Europa com a Get Your Guide

📌 CÂMBIO

Pesquise as cotações oferecidas por diferentes casas de câmbio através da Melhor Câmbio ou envie dinheiro para o exterior sem taxas pelo Transferwise.

Texto: Lila Amaral.

4 comentários em “Recife e Olinda – dica de viagem – Brasil”

  1. Nosso país é realmente sensacional né?
    Aqui em SP com os termômetros marcando 32ºC as quatro da tarde em pleno fim de inverno me fizeram desejar ainda mais conhecer esse lugar incrível rs
    Espero que esteja bem, Lila 🙂
    Abraços 💋🌺💕

    Curtido por 2 pessoas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.